terça-feira, setembro 25, 2018

O depoimento da quilombola Sophia de 2 anos, nos ensina o que é identidade...

Por Arísia Barros | Raízes da África No sábado,21/10,a Associação de Desenvolvimento da Comunidade Remanescente do Quilombo de Carrasco,localizada na zona rural de Arapiraca,AL,com o apoio do Instituto Raízes de Áfricas realizou a celebração da criança quilombola. A atividade coordenada por Genilda Queiroz, líder quilombola e presidenta da Associação contou com uma programação vasta e reuniu cerca de 200 pessoas, que reafirmaram o exemplo de resistência da comunidade quilombola. A ação aconteceu no Quilombo de Carrasco, que tem seu nome originado de uma árvore muito abundante. Desde 2008 o Quilombo é certificado pela Fundação Cultural Palmares, do Ministério da Cultura (MinC) . E durante a festa teve apresentação musical com o Grupo Vozes Pretas da Periferia/ Instituto Raízes de Áfricas. A menina Milena Correia,a os 11 anos, cantou e encantou o público, acompanhada do Alisson, ao violão. Mirian Soares, vice -presidenta do Instituto Raízes de Áfricas e Amanda Duarte realizaram perfor..

Mulheres se unem pelas terras quilombolas

As vozes femininas se posicionam em defesa da manutenção do processo de titulação das terras dos quilombolas. Com esta perspectiva, acontece na tarde destas...

Assine a petição e diga ao STF que não aceite a ação do Partido...

No próximo dia 16 de agosto, o Supremo Tribunal Federal (STF) julgará a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) que questiona o decreto 4887/2003 e...

Quilombolas lutam pela manutenção de terras demarcadas

Madalena Cardoso sai de cavalo logo cedo / Foto: Marcelo Prest - A Pública STF julga nas próximas semanas ação movida pelo DEM contestando decreto...

Fundação Palmares marca presença no Encontro de Quilombolas de Irará

Na avaliação dos participantes, foi um sucesso o Primeiro Encontro de Comunidades Quilombolas de Irará, na Bahia, promovido pela prefeitura municipal e pela Fundação...

Fundação Palmares certifica 103 quilombos em 2017

Comunidades de descendentes de povos escravizados vêm, paulatinamente, avançando na conquista de direitos, entre eles o reconhecimento do Estado à proteção de suas culturas e respeito às suas origens. Apenas no primeiro semestre deste ano, a Fundação Cultural Palmares (FCP), entidade vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), já certificou 103 comunidades remanescentes dos quilombos. Desde o início de suas atividades, a fundação certificou 2.962 comunidades. No Brasil, o termo quilombo é utilizado para nomear os locais de refúgio e resistência dos negros que fugiam dos seus senhores de escravos durante o período colonial e imperial. As comunidades que então se formaram também incluíram, além dos negros escravizados fugidos, indígenas, mestiços e brancos pobres. O mais famoso deles, o Quilombo do Palmares, foi homenageado ao dar seu nome à FCP, criada em 1988 para promover e preservar a arte e a cultura afro-brasileira. A certificação das comunidades pela Palmares é o primeiro passo p..

Quilombo de Barra do Parateca é vitorioso em ação judicial que questiona a constitucionalidade...

Foi publicada em 30/06/17 no Diário Oficial da Justiça, sentença proferida pela Subseção Judiciária da Justiça Federal do Município de Guanambi–BA, julgando improcedente Ação Ordinária nº 0001992-17.2008.4.01.3309, movida por diversos fazendeiros da região contra a União, o INCRA, a Fundação Cultural Palmares e a Associação Agro-Pastoril Quilombola de Barra do Parateca, na qual se pede a declaração da inconstitucionalidade incidental do Decreto Federal n° 4.887/03 quanto aos imóveis dos autores da ação, bem como a nulidade do Processo Administrativo e respectiva Portaria da Fundação Cultural Palmares que certifica o auto reconhecimento da Comunidade de Barra do Parateca enquanto quilombola. Embora certificada como remanescente de quilombo desde o ano de 2005 pela Fundação Cultural Palmares, a comunidade só obteve a publicação oficial do Relatório Técnico de Identificação e Delimitação – RTID (peça fundamental para determinar os limites do território tradicional a ser demarcado e titul..

VEJA ESSAS AQUI